Jornada Mundial da Juventude 2013

Como muitos devem saber, a cidade do Rio de Janeiro sediou este ano a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), evento criado pelo Papa João Paulo II em 1984 que tem os jovens como protagonistas desse grande encontro de fé, esperança e unidade. Seu objetivo principal é dar a conhecer a todos os jovens do mundo a mensagem de Cristo, além de, através deles, mostrar o “rosto” jovem de Cristo ao mundo. Para esta JMJ, o papa Francisco veio nos visitar e nos prestigiar. De 23 a 28 de julho, a fé rolou solta pelo Rio de Janeiro com a JMJ, que teve como lema “Ide e fazei discípulos entre todas as nações” (Mt 28, 19).
Tive o prazer e a satisfação de participar desta edição do evento, em nosso solo tupiniquim. Fui com a galera ponta firme da Pastoral Universitária da Unicamp e amigos (no total, aproximadamente oitenta pessoas). Minha jornada começou na sexta-feira, indo de São Paulo para Campinas, onde nos reunimos no salão paroquial da igreja Santa Isabel. Quando cheguei, o pessoal estava ensaiando o flash mob para o papa Francisco. Aí já viu né: entrei na dança também (literalmente). Depois, ainda conversei com muitas pessoas e, logo antes de partirmos, o padre João Batista nos deu sua bênção.
Com uma hora de atraso, o ônibus saiu rumo ao Rio de Janeiro. Rezamos um terço, comemos, conversamos e dormimos, claro. Por volta das 5:30h do sábado, chegamos na Ilha do Fundão (na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)) e vimos a aurora. Após algumas fotos e um breve alongamento, tomamos o ônibus “Rio City” (linha especial para a JMJ), que tinha como destino a Central do Brasil. No ônibus, conhecemos um pessoal de Campo Limpo Paulista que também estava participando da jornada (só tinha peregrinos no ônibus). Como ainda não tínhamos o kit peregrino, descemos no Sambódromo da Marquês de Sapucaí e fomos para a nada modesta e tampouco organizada fila. Depois de umas três ou quatro horas e de pegarmos sol e chuva, conseguimos os kits para nosso grupo.

JMJ: Pastoral Universitária em massa

JMJ: Pastoral Universitária em massa

Como dava meio-dia, rezamos o Ângelus. Em seguida, partimos para a caminhada. Dali até a praia de Copacabana, nosso destino, aproximadamente treze quilômetros nos aguardavam. Do sambódromo, seguimos pela avenida Presidente Vargas, em seguida pela avenida Rio Branco, depois pela avenida Beira Mar, passando pela Glória e pelo Flamengo. Em seguida, enveredamo-nos por ruas e mais ruas até misteriosamente chegarmos à Copacabana. Um “detalhe” que não mencionei é que neste percurso fomos acompanhados por muitas, mas muitas pessoas mesmo. E de vários lugares do mundo. Várias bandeiras tremulavam: Porto Rico, Austrália, Cuba, Argentina, Iraque, Malásia, Alemanha, etc., além das bandeiras de vários outros países que não reconhecemos e de estados de outros países e de, claro, bandeiras do Brasil (e também de estados brasileiros, com destaque para a do Espírito Santo – com seu lema “trabalha e confia” – que, muito provavelmente por causa da origem do lema, tinha aos montes).
Ficamos com muita fome durante as longas horas de caminhada com mochilas pesadas. No meio do caminho (no aterro do Flamengo), havia um posto de retirada do kit vigília (basicamente, alimento). O problema foi que a fila estava tão grande e desordenada que as pessoas preferiram seguir direto para Copacabana (sob protesto de meu estômago faminto). Então, seguimos peregrinando numa multidão internacionalmente imensa. Multidão que conversava, cantava, rezava, tirava fotos, brincava.

JMJ: domingo de manhã

JMJ: domingo de manhã

Chegamos em Copacabana por volta de 17, 18h. Como se não bastasse estarmos exauridos da caminhada, foi um parto encontrar um lugar para nos abrigarmos por lá. A areia estava completamente ocupada até onde os olhos alcançavam. O jeito foi arranjar um lugarzinho na calçada. E por lá ficamos durante a vigília com o papa Francisco. E por lá dormimos do jeito que deu: uns com saco de dormir, outros com EVA, plástico. Antes de sucumbirmos ao cansaço, porém, sucumbimos à fome e fomos procurar algo para comer. Foi assim que conhecemos o cachorro quente carioca: sem purê (buááá), com uva-passa (!), com queijo ralado (!!) e com ovo de codorna (!!!). E ainda podíamos escolher entre salsicha e linguiça oO Bom, o importante é que aliviou nossas necessidades alimentares naquele momento. E fomos dormir.
No meio da madrugada, uma amiga do grupo achou um lugar na areia e nos acordou para que mudássemos de lugar. Levamos todas nossas tralhas para a areia, aliás um lugar ameaçadoramente perto do mar. Tanto que algumas pessoas se recusaram a pousar ali e foram procurar outro lugar. Entrementes, fomos a um mercado há alguns quarteirões Copacabana adentro. Compramos mantimentos para o grupo todo (bisnaguinhas, bolachas, barras de cereal e um leite para um amigo nosso lactomaníaco). De volta à praia, nossos amigos tinham encontrado um lugar mais seguro para ficarmos. Comemos, rezamos e cochilamos um pouco, bem apertadamente (o bom é que nos esquentamos mutuamente).

JMJ:  praia de Copacabana

JMJ: praia de Copacabana

Durante a manhã, preparamo-nos para a missa de envio. Fizemos o último ensaio e apresentamos o flash mob para o papa. Logo após, ocorreu a missa, que foi celebrada em diversos idiomas e teve diversos “sabores”: momentos mais carismáticos e momentos mais tradicionais, como o Ângelus rezado em latim ao cabo da missa. Infelizmente, não fomos privilegiados de receber a comunhão (naturalmente, não havia hóstias para todo mundo – cerca de três milhões de pessoas).
Depois, foi só organizarmos nossas coisas e retornarmos para a Ilha do Fundão e de lá para Campinas. Retornamos cheios de alegria, esperança e de vontade de sermos jovens mais comprometidos com o mundo e com Deus. Pelo menos para mim, estes sentimentos ficaram de forma muito expressiva. Outra coisa que senti de maneira bastante forte foi a amizade e a proximidade das pessoas. Nesta jornada, conheci melhor muitas pessoas da Pastoral Universitária que praticamente só conhecia de vista.
Em suma, foi um evento fantástico. O desgaste físico foi proporcional à alegria da alma. Uma experiência muito positiva.
Jovens de todo o mundo, uni-vos!

JMJ: domingo antes da missa

JMJ: domingo antes da missa

Despeço-me por aqui com o hino oficial da Jornada Mundial da Juventude 2013:

Tags: , , , , ,

One Response to “Jornada Mundial da Juventude 2013”

  1. Alexandre Says:

    Muito legal, parça! Fico feliz que você tenha podido ver tudo isso de perto! Abraço!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: