Adeus ano velho, feliz ano novo…

Pois é, mais um ano se foi. Mais trezentos e sessenta e cinco dias adicionados à nossa existência. Você estabeleceu objetivos para 2012? Se sim, conseguiu atingi-los? Não vá me dizer que acabou se esquecendo de quais eram…

Aproveitando o momento, faço também meu balanço do ano (bom, se as lojas o fazem, por que eu não poderia?). Não vou me ater a acontecimentos pontuais (até porque, infelizmente, não tenho diário (já até tentei escrever durante um tempo, mas a disciplina me foi insuficiente), o que me impedirá de, daqui a vinte anos, ler alguns acontecimentos incríveis da vida e cair na nostalgia (ou lembrar com um sorriso)), mas sim considerar grandes blocos de tempo neste ano.

Não sei se posso classificá-lo assim, mas acho que foi um ano “inesperado”, no sentido de que fiz muitas das coisas que sempre vim fazendo há alguns anos, porém desafios inauditos se apresentaram, acontecimentos de que nem suspeitava.

Foi um ano de sorrisos, lágrimas, falhas, estudo, amizade, paixões, desilusões, consolo, perdão, dedicação, medo, regozijo, suor, oração, encontros, despedidas, abraços, velocidade, saudade…

Vi amigos irem ao exterior para lá estudar, vi amigos voltarem do exterior, fiz amigos de outra nacionalidade, revi amigos que há muito não via, consegui sucessos inéditos e tentei me dedicar mais ao próximo.

Da importância da amizade certo estou de que pouquíssimos ousam duvidar, entretanto neste ano tive uma forte consciência do papel central e insubstituível que ela exerce em minha vida. De amigos de verdade estou falando, daquelas pessoas que não passam por nossas vidas sem nos deixar um pouco do melhor de si, bem como deixamos com elas o que temos de melhor.
Isso me lembrou de uma linda canção do Flecha dos Pampas (que faleceu neste ano) intitulada “Eterno Mendigo”:

Nada neste mundo está perdido
Tudo tem valor no bom sentido

Tudo recebo com prazer: amor, rancor, justiça, calúnia
Mas tudo incrementa meu viver

O que recebo de ruim guardo comigo
O que recebo de bom divido com os amigos

Por isso, sou um eterno mendigo
Mas é assim que consigo ser feliz

Toda vez que escuto esta canção no LP de 1980 do meu pai me emociono deveras e lágrimas correm como rios em mim. Acho que o fato de ter sido criado ouvindo tais LPs contribui para isso, mas a beleza da mensagem, pra mim, é indiscutível.

Falando em música brasileira, neste ano conheci mais da nossa cultura e passei a dela gostar ainda mais e a divulgá-la ainda mais, tanto para brasileiros como para estrangeiros. Sem demérito a nenhuma cultura, mas a nossa é uma das mais diversificadas que conheço. Fica aqui o convite para que neste ano que se inicia você procure se cientificar mais de nossa cultura. A música é, em minha humilde opinião, um ótimo ponto de partida.

Bem, espero que tenha aproveitado bastante este ano e que 2013 seja repleto de novas emoções e boas notícias. Não se deixe levar pelo pessimismo que pode tentar consterná-lo, mas acredite num amanhã melhor e, sobretudo, faça tudo o que puder para torná-lo realidade!

Um feliz ano novo para você e para seus entes queridos.
Até o ano que vem🙂

Tags:

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: